quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Xenofobia no Brasil algo mais comum do que se pensa

Perfeito seria se não houvesse xenofobia, homofobia e preconceito racial.

A notícia mais comentada da semana é da estudante de Direito de São Paulo, que de forma impensada e como a maioria das pessoas usa seu senso comum para expor suas opiniões mesmo que seja opiniões que exaltem a xenofobia, algo comum por parte de alguns grupo privilegiados que se mostram desenformadas e pretensiosas.

Mas eu já me contentaria se ao menos os estudantes universitários de classe média — que supostamente representam 4% da elite intelectual do país, culta e esclarecida — não fossem os responsáveis por difundir essa forma de preconceito.

Mayara Petruso xenofobia

Mayara Petruso xenofobia

Mayara já apagou suas contas no Twitter e Facebook, mas o registro fica aqui, pra que ela não esqueça do dia em que, ao invés de se desculpar publicamente pelas besteiras que disse, optou por se esconder e fingir que nada aconteceu.

No mínimo curioso tantos ataques, acredito que nesse momento de crescimento que o Brasil esta passando a idéia separatista é vaga e sem fundamento. Primeiro que o País economicamente só é viável com a integração de todos, norte, nordeste, centro-oeste, sudeste e sul. Essas questões sempre voltam à tona durante as eleições, é comum quando as pessoas estão discutindo sobre economia e questões relacionado ao IDH, PIB e renda per capita as pessoas indagam sobre a possibilidade de separação, é obvio que existe um senso comum nessa retórica. Só é possível mudar essa triste realidade quando se proporciona um debate de forma plausível e durante esse processo fique claro a importância de todas as regiões.

Durante anos o Nordeste foi considerado no sudeste principalmente em São Paulo uma região de atraso e pobreza o que de fato é verdade. Hoje com as mudanças e o crescimento acelerado desse novo Brasil, o Nordeste se mostra uma potencia econômica emergente, ajudando a acelerar a saída do País da crise de 2008, dessa forma ficou claro que os anos de atraso da região tinha um culpado, as lideranças políticas conservadoras que a séculos se beneficiam com a pobreza e de quebra compactuava com os interesses da elite paulista, que encontrou na explosão demográfica terreno fértil para seu crescimento econômico durante o século XX ( Processo acelerado de industrialização do centro-sul, depois da decadência do café a partir da década de 30). A grande discussão para esse século não passa perto dos rancores de épocas longínquas de conquistas territoriais ou mesmo separatista, hoje o País esta em uma nova era de desenvolvimento e crescimento cultural, político, cientifico e econômico. Cabe aos nordestinos usarem seu intelecto e de fato perceber que todo esse rancor por partes dos eleitores do candidato derrotado nas eleições 2010, é forjado pela mídia golpista que passa para os telespectadores, leitores e etc a idéia de que José Serra, só perdeu por conta dos votos do nordeste.

O paulista principalmente, se sente elite em alguns momentos superiores aos demais, isso advém da sua formação não culpe as pessoas de expressarem a sua cultura, vamos tentar através de diálogos sensatos e construtivos mostra a todos seja nordestino ou moradores de outras regiões como é importante a integração de País e acima de tudo a identidade nacional, que está em formação.


Um comentário:

Roberto Sabino disse...

Tudo bem , Prof Jorge?
Cara, passei pelo seu blog e acabei esbarrando com um companheiro na batalha. Sou professor do cursinho do Ipra de Franca, estou adicionando seu blog ao meu...

Abraços